Confira as novidades Agricopel!

image image
Car Freshner, Aromas Marcantes!
Petrobras Lubrax

Notícia

E-mail Imprimir PDF

Produção de óleos básicos cresce 3% nos EUA.

Mesmo com interrupções nos abastecimentos e um fim de ano fraco, as refinarias americanas concluíram o ano passado com uma produção de cerca de 9,8 milhões de metros cúbicos de óleos básicos, representando um acréscimo de 3% com relação a 2012. Os naftênicos ficaram com mais de 18% desse mercado, representando um aumento na ordem de 7,6%.
Os dados da Energy Information Administration – EIA revelaram que 2011 foi um ótimo ano para o mercado de básicos nos Estados Unidos, pelo menos nos 9 primeiros meses e de acordo com fontes do setor, as margens foram excelentes e o mercado mostrou-se bastante animado.
As interrupções ocorridas nas refinarias, com mudanças físicas e de controle acionário e os problemas logísticos enfrentados não foram suficientes para desanimar o setor. De acordo com alguns produtores, foi um ano bastante desafiador e com muitas dificuldades.
A EIA também informou dados de importação e exportação do mercado americano, mostrando que foram exportados cerca de 4 milhões de metros cúbicos de básicos, perto de 40% da produção, o que poderia explicar, em parte, os ganhos do setor. Os tipos mais exportados foram os básicos naftênicos e de grupo II. Enquanto isso, as importações atingiram 1,6 milhões de metros cúbicos em 2011, representando um aumento de 4% em relação a 2010. Os maiores fornecedores foram a Coréia do Sul e o Canadá. E os testes indicaram que a adição das nanopartículas necessárias para criar o nano-óleo não altera as propriedades de isolamento elétrico do material original, o que é essencial devido à sua função de isolamento entre as bobinas.
Partículas bidimensionais
As nanopartículas de nitreto de boro têm apenas cinco camadas atômicas, medindo cerca de 600 nanômetros de diâmetro, o que as caracteriza como um material bidimensional.
Elas são altamente isolantes e se dispersam muito bem pelo óleo.
"Mais importante ainda, a natureza bidimensional das nanopartículas deixa-as estáveis no óleo, sem que elas se depositem ao longo do tempo," afirmou o professor Pulickel Ajayan, coordenador do trabalho.
Fonte: Site Inovação Tecnológica

Última atualização em Sáb, 17 de Março de 2012 20:10